quarta-feira, 25 de março de 2015

Ana Maria em divulgação dos escritores associados GAEB e suas obras. A próxima escritora será a Célia Jacarandá.


                               
Apresenta aqui os escritores associados e suas obras literárias.








Escritora - Adriane Sarmento
Escritora - Ana Maria de Freitas Rocha
Escritora - Célia Jacarandá
Escritor - David P Rocha
    Escritora - Dinorá Couto Cançado
    Escritor - Edivânio Honorato
   Escritora - Gacy Simas
   Escritor - Gelsinio de Assis
   Escritora - Inêz Carolina
   Escritora - Ironita Mota
   Escritora - Jéssica Batista
   Escritora – Lair França
  Escritora – Maria Loussa
  Escritor – Marco DePaiva
  Escritor – Natal Barros Castro
  Escritora – Onã Silva
  Escritor – Pedro Ivo
 Escritora – Selma Arau
  Escritor - Valdeci Marques  
         
Ana Maria de Freitas Rocha    

(Silvânia – GO. 02.08.1958). Filha de José Gregório de Freitas e Alice Constantino dos Santos Freitas. Iniciou seus estudos em Leopoldo de Bulhões (GO) e continuou em Anápolis (GO):             Formada em Letras pela Associação Educativa Evangélica (AEE), atualmente, Uni-Evangélica e em Teologia pelo extinto Instituto de Teologia “Santo Tomás de Aquino.” Pós - graduada em Produção de Texto para o I Grau e Docência Universitária. Professora de Língua Portuguesa e Educação Religiosa na rede estadual de ensino. Casada com o escritor David Pereira da Rocha.
Escreve desde os doze anos de idade. Contribuições literárias em jornais como “O Silvaniense”, “A Tribuna de Silvânia”, e “O Correio do Planalto”, de Anápolis. Participou da Coletânea “Anápolis Centenária” (2007), livro lançado em comemoração pelos cem anos de Anápolis (GO). Faz parte do livro “Memórias dos Escritores – ULA” (2010).  Sócia da União Literária Anapolina (ULA) onde tem publicado vários trabalhos literários no Jornal da ULA. Co-fundadora da Academia Anapolina de Letras (ANALE), Cadeira nº 03, cujo Patrono é João Luiz de Oliveira e da Academia de Letras do Brasil seccional de Anápolis (ALBA) cadeira nº 4 cuja patronesse é  Cora Coralina..

           Publicou, em coautoria com o esposo,  o livro de poesias Meta Metades (2008). Publicou em 2010, os livros: “Simplicidade (poesia), “Nostalgia Ano 2000” (poesia) e “A Lua que o Rato Comeu” (infantil). Teve em 2011, 2013 e 2014, publicados pelo Programa Anápolis em Letras, Fatos e Imagens, da Prefeitura Municipal, os livros:  “Retratos de Emoções”- poesias; “Balaio Encantado”- poesias e “O Menino e a Lua” – infantil.  Edita o jornalzinho “Informativo Professor Faustino” e editou os livros Ensaios Poéticos I (2012) e II ( 2013) – coletânea de poemas dos alunos - ambos do colégio onde trabalha .     

META-METADES:


Livro que narra de forma leve e poética sobre duas metades que se procuram, se encontram e se unem formando um todo completo, perfeito.  Não apresenta uma fórmula infalível para que um casal se sinta realizado e feliz, apenas experiências que, como bússola, aponta a direção certa a seguir... 





NOSTALGIA ANO 2000

     Um olhar profundo e avaliativo da autora por sobre a devastação sistemática e indiscriminada do ecossistema, que vem ocorrendo no planeta: Caça predatória, queimadas, desmatamentos, liberação de gases poluentes, contaminação de rios, lagos e oceanos, colocando a terra em estado crítico. É um alerta sério para que se tome uma atitude consciente e proativa antes de soar a trombeta final e termos de fugir para o espaço sideral em busca de outro mundo, para também o destruirmos...                 

O Menino e a Lua                                                                               
O MENINO E A LUA
                                                     
É a história engraçada de um amor platônico. Um menininho, que entre um e dois anos de idade, se apaixona pela lua!  E toda vez que a vê no céu, canta-lhe uma canção ao som do pequeno violão. E quando não a vê, fica revoltado e até          chora de saudades...
A Lua que o Rato Comeu                                                                                            
A LUA QUE O RATO COMEU
Narra a história de Mariana, uma menina em sua primeira viagem de férias, em companhia de sua madrinha para visitar uma tia que mora numa fazenda próxima de Redenção, no Pará. As curiosidades e descobertas da criança pelo caminho. E a inocência dela ao acreditar na brincadeira dos primos, que um rato havia comido um pedaço da lua, que se apresentava no céu em quarto - crescente, e suas conseqüências disso!
SIMPLI©IDADE:                                                                                   SIMPLI©IDADE: Retrata três estágios marcantes do crescimento corporal, intelectual e moral do eu lírico. O primeiro estágio é o da simples idade: a primeira infância, as primeiras impressões, primeiros ensinamentos, primeiros passos, primeiras sensações, primeiras chuvas... O segundo estágio é o da simples cidade: lugar onde nasceu, o bom convívio com as pessoas simples, amigas e honestas do lugar. O terceiro estágio é o da simplicidade: das coisas vividas sem levar em conta estar descalça ou calçada com “havaianas”; se o vestido era de grife ou confeccionado pela mãe... 

RETRATOS DE EMOÇÃO:
RETRATOS DE EMOÇÃO: “UMA FOTO VALE POR MIL PALAVRAS”. O eu lírico se vale da segunda opção do adágio popular e, abrindo sua câmara escura, vai nos revelando imagens nítidas vividas através da emoção de mil palavras. São imagens vivas e pulsantes: lugares, paisagens, sensações e acontecimentos captados pela memória da menina, da moça e da mulher através das lentes perfeitas das retinas, como um diafragma de uma “Cannon” profissional!

Adriane Sarmento em divulgando os escritores do GAEB a próxima será a escritora Ana Maria

Apresenta aqui os escritores associados e suas obras literárias.
Escritora - Adriane Sarmento
Escritora - Ana Maria de Freitas Rocha
Escritora - Célia Jacarandá
Escritor - David P Rocha
Escritora - Dinorá Couto Cançado
Escritor - Edivânio Honorato
Escritora - Gacy Simas
Escritor - Gelsinio de Assis
Escritora - Inêz Carolina
Escritora - Ironita Mota
Escritora - Jéssica Batista
Escritora – Lair França
Escritora – Maria Loussa
Escritor – Marco DePaiva
Escritor – Natal Barros Castro
Escritora – Onã Silva
Escritor – Pedro Ivo
Escritora – Selma Arau
Escritor - Valdeci Marques        



Adriane Teixeira Sarmento Costa, nascida aos 11 de Dezembro de 1968, em Goiânia Goiás. Filha de Aubiramar de Morais Sarmento, Delegado aposentado em Goiânia, falecido em 21 de Abril de 2014. Filha de Irandi Teixeira Sarmento, professora aposentada, também falecida nesta Capital, Estudou nas escolas, Rudá, Carlos Chagas, Santa Paula e fez faculdade incompleta de psicologia nesta capital.

 Adriane Sarmento ganhou Menção honrosa com seu primeiro romance, concurso no Rio de Janeiro. Ganhou prêmio de literatura no concurso Viva a Leitura em  2010, Rio de Janeiro. Ganhou menção honrosa no concurso de literatura da Biblioteca Nacional, do Rio de Janeiro em 2013. O romance ÚLTIMOS MOMENTOS, consta nos livros estudos literários de autores goianos e escritores de Goiás, de Mário Ribeiro Martins. Rio de Janeiro, 1999.

                Lançou seu primeiro romance em 1992, pela antiga Universidade Católica de Goiás, hoje a PUC, com o romance ÚLTIMOS MOMENTOS, recebendo menção honrosa pelo Concurso Nacional Máster de Literatura no Rio de Janeiro em 1993. Hoje entre outros romances, seu segundo romance chamado DA FAMA PARA A SOLIDÃO e MENINOS PERDIDOS. 
Ambos com temas educativos para formação da personalidade do ser humano de todas as idades.




Da Fama para a
        Solidão
         Fama para Solução
 Da Fama para a Solidão, eu falo de uma personagem chamada Bete Maya. É uma garotinha de nove anos que descobre o talento de cantar. Seus pais perceberam isso logo de cara e seu irmão um menino também talentoso, descobre o dom de tocar e assim os irmãos seguiram seus destinos, estudaram música. Um produtor musical vê o talento dos irmãos num programa de televisão em Goiânia. A partir dai seus destinos mudaram Bete, seu irmão e seus pais receberam uma proposta de se mudarem pra Nova York. Após alguns meses fizeram carreira por lá e alcançaram o sucesso. Após alguns anos retornaram ao Brasil e aqui também ficaram ricos e famosos. Já adolescentes no auge do sucesso, Bete e seu irmão, acabaram se viciando em drogas, seus pais entram em desespero e interna Bete Maya numa clinica de reabilitação e o irmão de Bete consegue largar das drogas, mas infelizmente a adolescente no auge de sua carreira e do sucesso, acaba entrando num caminho sem volta, e caí para sempre num abismo e numa noite de show ao vivo no Rio de Janeiro, Bete tem uma overdose e morre em cima de um palco e assim Bete Maya viveu DA FAMA PARA A SOLIDÂO.


MENINOS PERDIDOS

  O romance é uma ficção que retrata a realidade. A estória se passa em Goiânia. Uma gangue de meninos entre 10 a 14 anos se junta e se envolvem no tráfico, entre meninos e meninas, alguns foram abandonados pela família, outros fugiram de casa por vários motivos como, maus tratos e abusos sexuais e etc. o principal personagem chama-se, Zezinho, ele é o líder da  quadrilha. Com o tempo o garoto muda-se para o Rio de Janeiro com a sua gangue saíram fugidos da polícia. E lá assume o comando de um traficante que havia morrido por causa do tráfico na favela da rocinha. Zezinho torna-se um traficante de alta periculosidade, mandando matar devedores de drogas, e outros integrantes da gangue, todos perigosos e alguns psicopatas. Zezinho torna-se rico e poderoso no seu mundo do tráfico. Todos são viciados em Crack, maconha e bebidas alcoólicas, com o passar do tempo os garotos da gangue morrem por causa do Crack, ou a polícia deu um fim.
Zezinho casa-se com uma garota que acabou abandonando a família de alto padrão financeiro, para viver com ele e no tráfico, o casal tem um filho. Alguns anos depois. A maioria da gangue havia morrido ou pelas drogas ou por policiais, a mulher de Zezinho acaba morrendo por causa do Crack, Zezinho cuida do filho. Um certo dia a polícia invade a rocinha e consegue matar Zezinho ficando seu filho no comando e assim o garoto se torna MENINOS PERDIDOS, continuando a mesma trajetória do pai.